Seu chefe é torturador, autocrático, amoroso ou participativo? Leia e descubra

Professor de MBA e de pós-graduação da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o especialista Randes Enes fez um estudo em que classifica quatro tipo de líderes.  “Existem outros perfis, mas estes são os que prevalecem. No processo de modernização da gestão empresarial, não há mais espaço para a grosseria, para aqueles que aumentam a tensão e o estresse no ambiente de trabalho”, afirma. Com base nesse trabalho, o Radar do Emprego quer usar esses dados para que você possa descobrir em que categoria seu chefe se enquadra. Para Enes, “o bom andamento da gestão ocorre quando se combina a presença de líderes amorosos e participativos. Sabemos que existem muitos indivíduos que trabalham com pessoas autoritárias e torturadoras como chefes, mas não existe real envolvimento e busca por excelência nessas situações”. Veja abaixo:

Líder torturador

• Sarcástico, zomba ou usa a ironia no relacionamento com as pessoas;
• Temperamental, por mudar rapidamente de humor e se tornar uma pessoa de difícil convivência;
• Radical, ou seja, é intransigente em sua opinião e intolerante com opiniões contrárias à sua;
• Oportunista, tira proveito da situação em prol de seus interesses;
• Duro, ou seja, severo e áspero com as pessoas;
• Agressivo, por tratar as pessoas com hostilidade.

Líder autocrático

• Manda, proíbe, ameaça, exige e castiga;
• Autoritário, concentra o poder de decisão;
• Dita sozinho as normas e atividades;
• É autossuficiente;
• Não promove o aparecimento de novas lideranças;
• Não estimula a iniciativa.

Líder amoroso

• Cuidadoso, é uma pessoa solícita e que pensa nas demais pessoas da equipe;
• Educado, ou seja, é gentil e respeitoso na usa forma de falar e agir;
• Filosófico, ao repousar sua forma de agir em valores e na ética;
• Entusiasmado, transmite empolgação e força de vontade;
• Idealista, por crer no valor da ética, da moral, da bondade e da solidariedade;
• Imaginativo, ou seja, que tem muitas ideias e planos.

Líder participativo

• Valoriza as ideias e iniciativas;
• Coordena, envolve, promove a participação e a cooperação;
• Cria um clima de liberdade, de comunicação aberta e a verdadeira integração;
• Favorece o surgimento de novas lideranças;
• Compartilha o poder de decisão

Estadão

Postado por: Portal Contábil SC

  • 3 de agosto de 2016

Outras leituras que podem lhe interessar

Mostrar todas notícias